Quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011
Bruno Vieira Amaral

 

M. Night Shyamalan gosta de brincar com géneros, de desmontar os códigos narrativos. Ao mesmo tempo, os seus filmes têm uma respiração metafísica, uma espiritualidade vaga que parece estar ali apenas para nos distrair dos truques de argumento. É como se ele nos dissesse: “vou fazer isto muito devagarinho para não se concentrarem na brincadeira.” A brincadeira, o lado lúdico do cinema de Shyamalan, é evidente em O Sexto Sentido (história de fantasmas), O Protegido (BD), Sinais (invasões de ETs), A Vila (monstros) e A Senhora da Água (contos de fadas). Enquanto brincava, a câmara mantinha-se séria e circunspecta. Há momentos, nos primeiros filmes de Shyamalan, de uma insuportável – para os padrões de Hollywood – lentidão. Isto juntava-se a ambientes mais intimistas (as crises conjugais em O Sexto Sentido e O Protegido, a crise de fé em Sinais) para criar um efeito de densidade que atingiu o máximo das suas possibilidades em A Vila, um filme na fronteira entre o denso e o balofo, entre o sério e o risível, entre o profundo e o pretensioso, quase sempre caindo nos últimos. Era um filme que rebentava de vontade de significar alguma coisa mas, como o realizador ainda não prescindira dos célebres twists e, no fundo, continuava a brincar com códigos, era como se estivesse também a brincar aos significados e à espiritualidade. Creio que, na altura, Bénard da Costa, escrevendo sobre A Vila, falou de Dreyer, mas isso era o mesmo que comparar um ilusionista com um santo, um mágico com alguém que opera verdadeiros milagres. Se Shyamalan acredita em alguma coisa, é no cinema e na narrativa. A metafísica das suas obras é metafísica cinéfila, é um cinema religioso no sentido em que a sua religião é o cinema. Não há mais do que isso e isso já é muito. O problema foi atribuir às suas obras uma profundidade espiritual que, na verdade, não existe. A questão espiritual, como a das crises conjugais, é funcional, está lá para aguentar a narrativa, mas não é religiosa num sentido sério. Em Sinais, a fé é apenas uma peça da engrenagem narrativa. Haverá algum espectador que sinta uma verdadeira inquietação espiritual depois de ver o filme? Sinais é um filme que só perturba epidermicamente. O máximo que provoca é uma comichão espiritual. E o mesmo é válido para qualquer um dos filmes de Shyamalan. Por isso é que O Acontecimento é um bom filme, porque é só cinema, não quer ser mais do que cinema, não pede outra leitura, não quer significar (e em Shyamalan, como vimos, querer significar é apenas uma manobra de diversão para ocultar as astúcias do argumento). E não fazendo de conta que tem muito para dizer espiritualmente, acaba por dizer mais cinematograficamente. Aqui, o Mal não é um conceito ontológico, é um conceito cinematográfico. O filme não é uma investigação sobre a natureza do mal, mas uma exploração das possibilidades de representação cinematográfica do Mal. Que o Mal aqui seja invisível, só reforça os méritos dessa exploração. É Os Pássaros sem pássaros. O início, completamente série B, sem prólogos de boas-vindas para acomodar o espectador, e a duração do filme (hora-e-meia) são os dois sacramentos da religião do cinema. A crise conjugal e o milagre quase no fim também não pedem sobreinterpretações. São fios do argumento. Qualquer leitura ecológica, espiritual, metafísica, etc, é lixo. Os Pássaros não é um estudo ornitológico, Tubarão não é sobre o comportamento dos tubarões, Alien não é sobre espécies alienígenas. São filmes sobre cinema e sobre o medo – a mais cinematográfica das emoções. O Acontecimento é isso. Não queiram que seja outra coisa. E espero que Shyamalan não queira ser outra coisa.


2 comentários:
De luis Eme a 16 de Dezembro de 2011 às 08:57
okei.


De chat a 14 de Julho de 2014 às 17:47

شات مصريه (http://www.maasrya.com/)
منتدي صور مصريه (http://www.maasrya.com/vb)
منتدي صور (http://www.maasrya.com/vb)
منتديات مصريه (http://www.maasrya.com/vb)


Comentar post

autores

Bruno Vieira Amaral

Priscila Rêgo

Rui Passos Rocha

Tiago Moreira Ramalho

Vasco M. Barreto

comentários recentes
Great post, Your article shows tells me you must h...
You’ve made some really good points there.I looked...
دردشة سعودي ون (http://www.saudione.org/) سعودي و...
شات فلسطين (http://www.chat-palestine.com/) دردشة ...
http://www.chat-palestine.com/ title="شات فلس...
شات فلسطين (http://www.chat-palestine.com/) دردشة ...
كلمات اغنية مين اثر عليك (http://firstlyrics.blogs...
o que me apetecia ter escrito. mas nao o faria mel...
good luck my bro you have Agraet website
resto 5resto ya 5waga
posts mais comentados
125 comentários
114 comentários
53 comentários
arquivo

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

links
subscrever feeds