Quinta-feira, 22 de Julho de 2010
Tiago Moreira Ramalho

Apeteceu ao João Martinho conversar comigo. Isto, claro, é um pressuposto meu, dado que no seu texto apenas me cita e me diz engraçado, acusando-me, lá para o fim, de ser meio vazio. Ora, como nada disto é novidade, porque o texto já estava aqui publicado, o que fez da citação uma coisa inútil, e porque toda a gente sabe que sou engraçado e, também, brutalmente vazio, nada se retira daqui além de uma tremenda vontade de um bate-papo blogosférico, que os chats brasileiros estão fora de moda. Enfim, «Olá, João Martinho, como é que isso vai?».

Conversa feita, aproveito para estender um pouco o post que deu ao João Martinho o mote para entabular tão agradável conversação. Naquele pequeno post, com um número de caracteres facilmente identificável num processador de texto regular, não tive o objectivo de finalizar a discussão, mas sim comentar a própria discussão. Hoje, que já demos uma vista de olhos pelo articulado, podemos avançar um pouquito mais.

A proposta de revisão que, pelos vistos, não é final, tem vários pontos de interesse. O primeiro é o objectivo confesso: tornar a Constituição o mais neutra possível. E, para isso, são suprimidos artigos completamente absurdos como os que definem objectivos da política económica, como a industrial, a comercial, entre outras. Aparentemente trivial, esta supressão é bastante relevante, pois a verdade é que este tipo de texto é próprio de programas de governo e não de leis fundamentais. A higienização ideológica da Constituição é muito mais relevante do que as propostas de alteração do poder do Presidente e das relações entre órgãos de soberania, propostas que, muito provavelmente, não irão avante, mas que são as que estão a receber mais atenção. Tornar a Constituição um objecto menos polémico é condição necessária para que acabe este desporto que é a proposta sucessiva de alterações. A Constituição tem de ser uma referência estável para todos e não uma garantia anti-democrática de prossecução de um determinado programa político que se acha merecedor de imposição generalizada. E, já agora, um forte abraço para o João Martinho. Sou tão boa pessoa, caramba.


1 comentário:
De PALAVROSSAVRVS REX a 22 de Julho de 2010 às 16:07
Que coisa chata e mole de se ler, Tiago. Assim não passarás do fraldário da bloga. Dezoito aninhos ou dezanove mereceriam mais sabor, mais adágio e menos pastelaria textual, não te parece?

E esmurro-te essa caixa-d'óculos se achares que dizer-te isto é insultar-te. Que sensível, pá!


Comentar post

autores

Bruno Vieira Amaral

Priscila Rêgo

Rui Passos Rocha

Tiago Moreira Ramalho

Vasco M. Barreto

comentários recentes
Great post, Your article shows tells me you must h...
You’ve made some really good points there.I looked...
دردشة سعودي ون (http://www.saudione.org/) سعودي و...
شات فلسطين (http://www.chat-palestine.com/) دردشة ...
http://www.chat-palestine.com/ title="شات فلس...
شات فلسطين (http://www.chat-palestine.com/) دردشة ...
كلمات اغنية مين اثر عليك (http://firstlyrics.blogs...
o que me apetecia ter escrito. mas nao o faria mel...
good luck my bro you have Agraet website
resto 5resto ya 5waga
posts mais comentados
125 comentários
114 comentários
53 comentários
arquivo

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

links
subscrever feeds