Quarta-feira, 28 de Julho de 2010
Bruno Vieira Amaral

“Hoje sou adulto e não sei nadar. Os outros, os que não foram tão protegidos, sabem nadar, o que lhes pode valer em situações críticas (perigo no mar, naufrágios, inundações). Se um dia me vir em perigo no mar, não estará lá a minha mãe para me proteger. Mas quando esteve ela foi imensa, total, infalível.”

 

Este excerto do romance de Vasco Luís Curado, A Vida Verdadeira, lembrou-me uma cena de O Livro do Riso e do Esquecimento*, de Milan Kundera. O rapaz é um péssimo nadador e, ao ver a namorada a nadar como uma profissional, tem um acesso de litŏst, uma espécie de auto-compaixão melancólica. Quando a rapariga sai da água, ele dá-lhe uma estalada com o argumento que ela correra um grande risco ao nadar daquela maneira. Na verdade ele não estava preocupado com a segurança da rapariga, mas o desembaraço aquático da namorada tinha sido uma humilhação tácita que ele não podia suportar.

 

O protagonista do romance de Vasco Luís Curado tem o nome de Vergílio e lendo o excerto que se segue percebemos porquê: “Sentia-me íntimo do mistério das coisas, seja isso o que for. Tudo, agora, repentinamente, me parecia claro, coerente, o Universo era uno e esplendoroso sem deixar de ser terrível. Pela primeira vez na minha vida, achava-me lúcido. E tudo porque me reconciliei comigo próprio.” Obviamente, Vergílio é vergiliano.

 

Outra passagem vergiliana é quando Irene, a irmã de Vergílio, reflecte sobre o próprio nome: “Quando pensas em mim […] eu sou um nome nos teus pensamentos ou um vulto, uma imagem? Pensas a Irene ou pensas em mim não com um nome? É que o nome capta a essência da coisa, torna-a individual e única.” Carolino, o Raskolnikov alentejano de Aparição, também mastiga as palavras (pedra, pedra, pedra) até ao caroço. O mesmo que Antoine Doinel faz em Beijos Roubados, de Truffaut, quando, em frente do espelho, repete o nome inúmeras vezes (antuáneduánel, antuáneduánel, antuáneduánel). A discussão poderia avançar para o racionalismo vs. empirismo / nominalismo (matéria que, tal como o sexo em grupo ou a filmografia de Bergman, me interessa, mas que não domino), ou levar-nos até ao poema de Jorge Luis Borges, El Golem:

 

Si (como afirma el griego en el Cratilo)
el nombre es arquetipo de la cosa
en las letras de 'rosa' está la rosa
y todo el Nilo en la palabra 'Nilo'.

 

ou a uma passagem de Orlando, de Virginia Woolf, em que @ protagonista descobre a diferença entre o verde na Natureza e o verde na Literatura. É sobre isto que Vergílio fala quando diz: “As rosas e as tulipas que deixei murchar só existem para mim enquanto palavras” ou “O real, para nós, era o verbal.”

 

A Vida Verdadeira tem também um episódio sobre a viagem enquanto cosa mentale, algo que dispensa a deslocação física para se realizar, para se tornar real. A viagem acontece nos preparativos. Há um poema, cujo nome a minha memória não quer recordar, de Fernando Pessoa, ou de um dos seus heterónimos, que conclui o mesmo. Sei que tenho isto apontado no último capítulo do livro de Fernando Savater, O Conteúdo da Felicidade, mas infelizmente estou na hora de almoço e muito longe dos meus livros.

 

* corrigido


autores

Bruno Vieira Amaral

Priscila Rêgo

Rui Passos Rocha

Tiago Moreira Ramalho

Vasco M. Barreto

comentários recentes
Great post, Your article shows tells me you must h...
You’ve made some really good points there.I looked...
دردشة سعودي ون (http://www.saudione.org/) سعودي و...
شات فلسطين (http://www.chat-palestine.com/) دردشة ...
http://www.chat-palestine.com/ title="شات فلس...
شات فلسطين (http://www.chat-palestine.com/) دردشة ...
كلمات اغنية مين اثر عليك (http://firstlyrics.blogs...
o que me apetecia ter escrito. mas nao o faria mel...
good luck my bro you have Agraet website
resto 5resto ya 5waga
posts mais comentados
125 comentários
114 comentários
53 comentários
arquivo

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

links
subscrever feeds