Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Hip hip

Tiago Moreira Ramalho, 10.10.10

A bomba foi anunciada e agora está tudo com os bracinhos encostados à cabeça, mãozinhas apertadas, gemidinhos, ai-ai, Jesus nos acuda. José Sócrates diz que se demite dia 29 de Outubro. Tudo porque o PSD vai, tal como disse desde sempre, chumbar o Orçamento dado o aumento dos impostos. O discurso oficial será o da intransigência de Passos Coelho e da vitimização do senhor engenheiro, como já todos antecipamos. O discurso não-oficial, o daqueles a quem, enfim, resta uma réstia de discernimento, será o da intransigente incompetência do governo que ora se quer escapulir. Tentemos ser minimamente objectivos: a crise financeira internacional tem cerca de três anos, a necessidade de consolidação orçamental, consolidação séria, estrutural, tem quase quarenta e, ainda assim, apesar de tudo, a despesa pública não parou de crescer, graças ao keynesianismo iluminado de quem nunca leu sequer a tabuada do ratinho. Mesmo quando o país aparece no grupo dos dez com maior risco de bancarrota – amiguinhos, bancarrota – o governo continua com os bolsinhos do tesouro descosidos.

Espero, honestamente, que Passos Coelho não mude de ideias. Que se vá, o governo, que se vá. Mantê-lo ligado à máquina da piedade política seria apenas alimentar ainda mais o monstro que foi criado e que tem vindo a ser alimentado, ao longo dos anos, pelos tristes macaquinhos que ocupam os raminhos da savana que é a comunicação social portuguesa. Agradeçamos-lhes também a eles, que, as mais das vezes sem necessidade absolutamente nenhuma, ajudaram a legitimar isto. Hurray!