Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Santa Comba

Rui Passos Rocha, 14.10.10

A Priscila deixou-me a porta aberta, por isso vou aproveitar para dizer que, ao contrário dela, concordo com o Rui Albuquerque: "se tivéssemos a sorte" de que a Irmã Lúcia tivesse proclamado, por decreto divino, a Constituição americana como a que, enfim, mais nos aproxima da justiça celestial, então não teríamos hoje uma Constituição-lista-de-pedidos-ao-Pai-Natal (Rui Ramos). Uma vez que, pelo contrário, o melhor que nos legou foi um bisneto homónimo parece que, de acordo com a lenda, aconteceu uma ditadura, coisa para uns 48 anitos, e que essa ditadura foi derrubada por militares, gente que, vá-se lá saber porquê, não entoava o tratado do Locke ao marchar. Consta também que, do MFA, a facção spinolista era mais gaullista que o próprio, que Otelo era menino para meter a burguesia no Campo Pequeno, que o "companheiro Vasco" era um camarada exemplar e que Melo Antunes, o moderado de serviço, tinha redigido a secção sobre Forças Armadas do programa do PS em 1973 - um PS que, à data, via no marxismo "uma inspiração teórica predominante" e queria restringir a economia privada "aos domínios não decisivos" do desenvolvimento económico. Novamente por culpa da Irmã Lúcia, a caça ao fascista do pós-25 de Abril fez Sá Carneiro anunciar a criação de um partido que preencheria "o espaço vazio à direita do PS, no centro/centro-esquerda", e tentar aderir à Internacional Socialista. Com governos de transição que seguiam rumo à "destruição do capitalismo" (esta é de Mário Soares, ah pois é), o Presidente-gaullista foi esmagado na rua e substituído pelos gonçalvistas, os criadores dessa coisa liberalíssima chamada Conselho da Revolução - que veio aferir o carácter revolucionário da legislação. Depois disso, e porque o voto, parecendo que não, até conta qualquer coisita em democracia, PPD e CDS não conseguiram muito mais do que 1/3 nas eleições constituintes, contra os quase 60% da esquerdice. Daí até à Constituição foi um tiro - e outro pacto sobre a "via socialista" com os Founding Fathers do MFA. É estranho: com uma História de liberalismo, expansão da indústria e da classe média burguesa; com uma democracia florescente ao longo de todo o século XX; e com revolucionários tão kelsenianos como os do 25 de Abril, também eu acho um acaso que tenhamos acabado com uma Constituição socialista.