Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Foi bonita a festa, pá

Rui Passos Rocha, 25.11.10

Alguns seres humanos com espírito de missão qwertyaram a sua indignação para com a casta corporativa da administração pública que - num período em que todos deveríamos dar as mãos pelo crescimento económico - decidiu vir para a rua engrossar a greve. Porque fazem o país perder dinheiro, e não-sei-quê, enquanto os pobretanas dão o lombo e alavancam o pouco que há para alavancar. Não fumaria o cachimbo da paz com um teórico da alienação, mas aos defensores da privatização-desta-merda-toda quero assegurar, abaixo assinado e tudo, que o vosso plano só sai favorecido por greves: na melhor das hipóteses, o grosso dos funcionários públicos não sindicalizados (quase todos) foi para a rua gritar não palavras de ordem mas de dor, tal era o peso dos sacos das compras que aproveitaram para fazer nos privados. E, vejam lá, pelo meio deram um dia de salário ao Rui Pedro Soares, perdão, ao Estado. Por outro lado, mais legitimidade deram ao governo para entregar o volante ao FMI - que inevitavelmente aumentará a competitividade cortando nos salários e na despesa pública com pessoal e com clipes. Não percebo porque não bateram palmas. Os partidos e as suas clientelas vão poder continuar a governar-nos, sosseguem; e desta vez com a palmadinhas nas costas da Alemanha. Afinal, mais pobre menos pobre iniciaremos a caminhada para uma melhor democracia, perdão, para maior prosperidade. A não ser que também vos cheire a fim de festa. Mas animem-se: teremos sempre Paris.