Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Tão simples

Bruno Vieira Amaral, 10.01.11

O que seria de nós sem os comentários esclarecidos nos sites da imprensa? O homicídio…não, homicídio tem uma carga demasiado negativa, o acto de justiça que se abateu sobre Carlos Castro é de uma transparência cristalina. A “vítima” era uma bichona, um velho nojento, praticamente um pedófilo, que se aproveitou da inocência depilada de um rapazinho (tão bonito que ele é, e gosta de mulheres, tinha resmas delas), uma ingénua criatura de Cantanhede (em Cantanhede não há paneleiros, ora essa), um anjinho de Deus que vendeu a alma ao Diabo em forma de um sexagenário gordo e feio. O porco seduziu a pobre criança cujo único pecado era ter um sonho e lá foi ela atrás do sonho agarrada às calças do maricas. Estava mesmo a pedi-las. Estão todos a pedi-las. Andam para aí a meter-se com rapazinhos exemplares que até praticam desporto e sorriem aos concidadãos e estão à espera do quê? E nem se sabe se não foi a “vítima” a provocar a situação ou até mesmo a pedir para que o jovem lhe fizesse aquelas coisas, porque homens daqueles são uns pervertidos. Quem nos garante que a “vítima” não tentou coagir o rapazinho, que não tentou obrigá-lo a fazer coisas que este não queria e que o rapazinho, ferido no seu orgulho heterossexual, apenas se defendeu, espancando o verdadeiro agressor durante uma hora, enfiando-lhe um saca-rolhas no olho e cortando-lhe os tomates? Seria muito diferente se em vez de um paneleiro velho, estivéssemos a falar de um septuagenário heterossexual que andasse com uma “dançarina” brasileira (puta, claro está, porque estas são muito sabidas e querem é subir na vida porque lá na terra delas passam fome). Já se sabe que estas atrevidas só andam atrás deles pelo dinheiro e que eles aproveitam (quem é que, podendo, não aproveitaria?) para ferrar o dente em carne fresca, e fazem eles muito bem, provando a macheza do garanhão lusitano que nem no leito de morte perde a tusa. É tudo tão simples: a culpa é sempre dos maricas e das putas.

4 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Alexandre Carvalho da Silveira 11.01.2011

    Estou totalmente de acordo consigo, Rendadebilros. Aquele jovem atingiu a fama de uma maneira que nunca imaginou. Agora espera-o uma pena certamente pesada numa prisão americana.
    O melhor que ele tem a fazer, é começar a passar vazelina no rabinho, porque com a publicidade que teve já deve haver quem o espere impacientemente atrás das grades!
  • Sem imagem de perfil

    JVA 11.01.2011

    Olha - um humanitário! Era justamente a isto que aludia mais acima: os que andam a cuspinhar impropérios sobre a vítima são apenas o reflexo dos que, se pudessem, castravam e executavam o homicida sem sombra de remorsos. Um tipo que se regozija com a perspectiva de um estupro, mesmo como "meio" de punição de um crime, será decerto um filantropo. E mesmo esta historieta das prisões é demasiado delicodoce: justa, mesmo, era a lei de talião.

    De facto, tudo é tão simples.
  • Sem imagem de perfil

    JVA 11.01.2011

    Estava a referir-me ao comentário do ACS, não ao post (não sei se foi perceptível; esta treta dos comentários do Sapo é uma confusão)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.