Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Aluga-se post

Rui Passos Rocha, 16.02.11

Os contratos de arrendamento imobiliário poderiam ser mais flexíveis. Em vez de nos ficarmos por um valor fixo, uma alternativa seria que o valor médio fosse, a partir do segundo mês, reduzido ou aumentado, dependendo de factores contratualizados -assim, em vez de se pagar sempre, vá, 500€ por um apartamento esse valor cairia 10% (para 450€) ou subiria 10% (para 550€) dependendo de terem ou não sido feitos estragos. O bom arrendatário beneficiaria de um desconto, que não tem por se ter instituído o preço médio; e o mau arrendatário seria penalizado e teria de tratar do problema gerado. A prazo isto levaria a maioria a baixar o preço inicial, ou médio, dos arrendamentos, porque haveria um incentivo para não estragar. Mas há dois aspectos a ter em conta: este modelo implica não só uma inspecção inicial mas também que o proprietário visitasse o apartamento uma vez por mês, por exemplo; e há a possibilidade de o custo para compor algo ser superior ao benefício da redução de preço, que aconteceria caso o problema fosse resolvido. Alguém tem ideias?

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    RPR 18.02.2011

    essa é muito boa.
    mas e se o sistema fosse progressivo:

    preço médio de x no primeiro mês
    depois
    - sem nenhum problema para compor: 5% mais barato
    - com problema:
    ---- problema grave 10% mais caro
    ---- problema não grave 2% mais caro

    algo deste género?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.