Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Licenciaturas precárias

Priscila Rêgo, 09.04.11

Lembram-se daquela ideia de o desemprego de jovens com curso superior se concentrar em grupos muito específicos de licenciados? Quando coloquei essa hipótese, baseei-me no instrumento de medida mais querido por parte dos nossos comentadores: o achómetro. Desde então, perdi algum tempo a olhar para os números.

 

Tive um problema: o INE não produz dados tão finos e as Universidades, pelos vistos, não têm interesse em fazê-lo (selecção adversa, suponho). Optei assim por recorrer aos dados administrativos do Ministério da Ciência e Ensino Superior (MCTES) e aos números em bruto do Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP). Felizmente, não tive de os reunir à mão: o GPEARI já fez esse trabalho por mim.

 

Ponto prévio: excluí as universidades privadas da análise. Em princípio, produzem licenciados com condições financeiras bastante melhores, com menos incentivos a inscreverem-se em centros de emprego.Isto poderia introduzir algum ruído que quis evitar. De qualquer maneira, o número de licenciados por universidades privadas é apenas um quarto do total. Talvez não faça grande diferença.

 

Como estamos a falar de jovens, olhei apenas para os recém-licenciados. O relatório do GPEARI fornece um quadro com o número de formados nos últimos três anos por cada curso. Eu juntei os cursos com designações semelhantes e, posteriormente, agreguei vários cursos em torno de 12 áreas científicas.O GPEARI já faz isso, mas usando categorias que, parece-me, escondem algumas nuances importantes. 

 

O resultado são os dois gráficos de baixo. O primeiro tem apenas os cursos com mais desempregados (tinha de ser, senão nunca mais acabava...). O segundo tem as doze áreas científicas.

 

 

 

 

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    PR 09.04.2011

    "Imagino que o denominador do "peso no total" seja o total de desempregados licenciados?"

    Exacto.

    "Seria interessante (não sei se seria possivel) ter também a percentagem de "licenciados em economia que estão desempregados"

    Sim, é possível, mas ainda estou a calcular. O excel do GPEARI não tem a informação sistematizada. Amanhã já devo conseguir pôr esses números (que têm muitos problemas, claro).

    "De qualquer forma, surpreende me o elevado desemprego em "Gestão" (eu já sabia que "Gestão de Recursos Humanos" está a abarrotar de desempregados e sub-empregados, mas pensei que fosse mais um problema dos alunos das privadas); ou será apenas o resultado de haver muitos licenciados em Gestão?"

    Como já acabei de calcular os números de gestão, posso dizer (falando de cabeça):
    a) sim, o peso de gestão, tal como o de economia, no total, justifica-se por haver muitos licenciados neste(s) ramo(s)
    b) nas privadas, contudo, pareceu-me que havia de facto uma taxa de desemprego anormalmente elevada.

  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.