Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

E a Rita Rato, não tem blogue?

Rui Passos Rocha, 16.04.10

Acho admirável que as senhoras - para não dizer meninas (o que seria paternalista), fêmeas (demasiado animalesco para as dez da noite) ou género feminino (o rigor cansa-me) - busquem alternativas quando o mercado de trabalho pende para o sexo forte, melhor pago e tal. O que me faz coçar o frontispício é que monopolizem nichos de mercado emergentes como se, enfim, a igualdade por que vêm lutando não fosse uma coisa bonita. No mercado da estridência, por exemplo, não há Miguel Abrantes (por mais que se multiplique), Carlos Santos ou João Galamba que possa concorrer com Fernanda Câncio, Isabel Moreira ou - as para mim bem-vindas novidades - Marta Rebelo e Mónica Andrezo Pinheiro. Um mercado em emergência, dizia eu, mas um mercado com, aposto, procura crescente: afinal o grosso (também literalmente) dos homens procura estrogénio bem compostinho de forma mas não de conteúdo. É uma lei natural (que Strauss não percebeu, diga-se, mas eu e Mendel, por esta ordem, atingimos) que aquelas quatro mais-ou-menos-beldades obviamente conhecem e têm explorado à náusea, com a particularidade de colmatarem a secura argumentativa com o massacrar dos respectivos teclados, de tão iradamente os martelarem. Uma estratégia que atrai o másculo faro e multiplica o seu - delas - potencial copulativo (regra não aplicável, como é evidente, a espécimes de fachada duvidosa como Heloísa Apolónia ou Ana Gomes). Eu, que como se vê pretendo fazer disto tese académica, estou de momento particularmente interessado no caso de Mónica Andrezo Pinheiro, que está já, vejo, num segundo patamar evolutivo: tenta captar um público mais heterogéneo, composto não só pelos grunhos de sempre (e para isso os pontos de exclamação sucessivos são decisivos), mas também por licenciados da Universidade Independente (entusiasmáveis pela descrição de uma mesma biblioteca onde pontificam a genial Isabel Stilwell e o pobre coitado do Simon Schama).

6 comentários

Comentar post