Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Uma conta com o nome

Tiago Moreira Ramalho, 12.12.11

É verdade que existe uma geral falta de informação sobre a natureza do sistema de pensões em Portugal. As pessoas pensam genuinamente que estão a descontar para si, o que é falso. O sistema de pensões é apenas mais um sistema redistributivo que se baseia numa certa ideia de colaboração intergeracional: a geração actual sustenta a geração que já trabalhou. É uma espécie de artimanha que generaliza o princípio antigo de os filhos sustentarem os pais em tempos de velhice e doença, sendo que aqui todos os activos são filhos de todos os inactivos (somos todos irmãos). No entanto, um sistema de segurança social só faz sentido se for construído com base nisto. Se cada pessoa que desconta tivesse uma simples conta de reforma com o seu nome, o sistema público seria inútil. Há possibilidades até bastante mais vantajosas lá fora. Não querendo necessariamente discutir as qualidades de um sistema redistributivo, há que perceber que transformar a promessa numa conta com nome significa simplesmente acabar com a colaboração intergeracional. Em termos mais crus, deixar velhos sem qualquer rendimento.

12 comentários

Comentar post