Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Aventalinhos

Tiago Moreira Ramalho, 12.01.12

Não existe, ao contrário do que se diz e escreve nestes dias, qualquer obrigação moral em tornar público que se é um maçon. Por isso não chega publicar ou dizer publicamente que os maçons têm de sair da sombrinha do secretismo se quiserem assumir cargos públicos. É preciso justificar que isso é uma mais-valia institucional.

O primeiro medo é o de a Maçonaria constituir uma plataforma facilitadora de corrupção. E constitui. E não podemos fazer nada para o evitar. Uma reunião sem aventais e martelinhos não é uma reunião maçónica, mas pode gerar corrupção. Qualquer associação de pessoas é uma potencial plataforma facilitadora de corrupção. Mesmo entre apenas duas. No limite, baniremos pequenas escapadelas amorosas.

O segundo grande medo é a existência de conflito de interesses, dado que a Maçonaria se rege por regras de obediência. De novo, isto é por natureza impossível de controlar. O político pode não ser maçon, mas obedecer a uma religião, a um guia espiritual ou até à mulher. Se a obediência a algo que possa conflictuar com a actividade política é um factor decisivo, então que se feche o Parlamento e venha a anarquia.

Mais do que discutir regras infundadas, seria bastante valioso discutir as que já existem e a sua aplicação. Porque o facto é que há um conjunto de nomes suspeitos de corrupção, mas nenhum processo de investigação aberto. O perigo está aqui, não nos aventais.

2 comentários

  • Obrigado, Samuel :)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.