Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Rawls (2)

Rui Passos Rocha, 05.05.10

A sociedade ideal, escreve Rawls, não é necessariamente a que mais prospera economicamente ou a que melhor premeia os seus membros mais ricos. É, a bem da igualdade, a que atinge o melhor resultado mínimo (maximin), a que garante sempre aos mais pobres um melhor rendimento do que conseguiriam numa qualquer sociedade alternativa – real ou imaginável. A lógica é de que a desigualdade de rendimentos potenciada pelo maximax tende a gerar convulsão social, coisa menos provável quando há mais igualitarismo. É plausível; e também faz sentido que nenhum filósofo tenha estendido a ideia aos afectos. O maximin é tudo menos uma teoria possível para o amor. Ninguém quer apenas o melhor resultado mínimo possível; ninguém procura simplesmente quem melhor reaja nos períodos mais turbulentos. No amor todos queremos maximax, todos procuramos o melhor máximo. Mas o maximax, como diz Rawls, pode gerar convulsão – sobretudo se há quem queira maximin. Na política como no amor, o maximax só é sensato se for consensual.