Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Fundo de «salvamento»

Tiago Moreira Ramalho, 27.05.10

As ajudas aos bancos na turbulência de há uns meses, apesar de duvidosas, podem ser de algum modo justificadas com a imprevisibilidade da situação – se calhar nem tanto, mas vamos supor que sim. Os governos, deparados com uma situação catastrófica, sentiram que tinham de fazer algo e, mesmo que o que fizeram não tenha sido do mais acertado, acabamos a relativizar os estragos. No entanto, se a situação excepcional permite relativizar a actuação excepcional, é completamente absurdo que assistamos sem reagir àquilo que se propõe por essa Europa fora. Quer a União criar um fundo, com participação de todos os bancos, que servirá para os «salvar» no caso de falência ou da sua iminência.

Penso que não é difícil pensar nas implicações de um tal fundo. O sector bancário, que mesmo sem garantias assumiu riscos muito acima dos níveis óptimos, com uma garantia permanente iria levar isso a um extremo absoluto. Isto é a base da teoria de incentivos que, supõe-se, talvez mal, os senhores promotores aprenderam nas escolinhas.

A Europa continua firme no seu colectivismo pacóvio. Continua insistindo na ideia de que pode planear e conceber todas as possibilidades e que nada escapa ao seu controlo. Com isso, enche a fogueira de achas com a serenidade com que se bebe um copo de água. Um dia acaba em cinzas.