Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

A Douta Ignorância

Política, Economia, Literatura, Ciência, Actualidade

Uma terra de desconfiados

Tiago Moreira Ramalho, 28.07.10

 

O coiso (alguns chamam-lhe investigação) Freeport acabou e Sócrates, afinal, foi apenas caluniado, difamado, nada mais. Parabéns para ele e para os seus, que ninguém gosta da famelga no chilindró.

Além da inocência de José Sócrates, que, não fora sermos, a contragosto de tanta boa gente, uma coisa (alguns chamam-lhe Estado) republicana, já teria ganho cognome, também ficou uma vez mais provado que não passamos de uma simples terra de desconfiados. Ainda há pouco ouvi um senhor a gritar muito na televisão (não ouvi tempo suficiente para lhe perceber o nome) que somos obcecados na busca por criminosos, pensamos que isto é tudo corrupto e assim. É verdade. É tudo produto da nossa imaginação. Um povo inteiro cuja droga não permite a felicidade eterna mas sim a alucinação constante. Vemos criminosos onde eles não estão – nas autarquias, nos institutos e empresas públicas, nos governos ou nos parlamentos. E acabamos, caso após caso, sentença após sentença, mal vistos por andarmos a acusar gente que, no fim, não fez nada além de cumprir escrupulosamente, com elevado sentido ético, todos os postulados da lei.

Facilitemos. Em Portugal só há anjos. Somos um paraíso madisoniano. Fechem os tribunais, que tudo isto é coisa das vossas cabeças. Poupamos dinheirinho, que anda caro, e ainda podemos começar a falar de livros, em vez de falarmos de casos que percorrem gerações.

1 comentário

Comentar post